sexta-feira, 12 de outubro de 2007


Porque chamamos vivos aos que esperam
a vez, marcando passo?
E mortos aos que se libertam
e são livres no espaço?


Fernanda de Castro «Nascer, Morrer», in Asa no Espaço, 1955

2 comentários:

RAA disse...

Obrigado pelo alerta. Vou fazer a ligação com o «Ferreira de Castro».
Saudações cordiais.

Matilde disse...

A Amizade nasceu já há dois anos, ao completar os meus 20 anos, e os milagres que me tem trazido ao quotidiano são muitos: desconcertantes na clareza e seguros na sagacidade....Tocam o indizível e seguem sempre o código do Amor, ajudando a vasculhar no Outro o seu lado doce e irmão.
Cada passo sofrido e pesado como apoio do riso forte e vibrante de SEMPRE...é dar sentido firme à Vida e ao seu Requiem: "paz e silêncio, luz e esperança".

Parabéns pelos blogs, nova magia em cada visita, regresso a Casa...
Talvez se imponha ainda um outro blog, inexcusável por bênçãos de ordem diversa. Mas sobretudo porque é urgente difundir bondade, "através de tudo", mesmo quando ao "responder à maldade dos outros"...